Como a crise está afetando o setor de TI?

Já parou para pensar em como a crise brasileira está afetando o mercado de TI? Reflita por alguns minutos e conte quantas pessoas em sua empresa foram demitidas. Tente contabilizar o quanto foi perdido em clientes que não fecharam contrato ou que o cancelaram por conta da crise. Consegue ver um dos diversos sintomas da maior crise da história brasileira?

Deixando a política de lado podemos ver que tudo tem ficado mais caro, e não é à toa. Com a cotação do dólar ultrapassando R$ 4,00 é difícil não notar. O combustível ficou caro, a farinha, que é importada porque o Brasil não a produz em quantidade suficiente para atender a demanda interna, e por consequência o valor do pão nosso de cada dia sobe. Também não podemos deixar de mencionar os produtos e insumos que movimentam o mercado dos nossos clientes. Na medida em que tudo fica mais caro, o administrador precisa cortar custos para poder bancar os caríssimos encargos trabalhistas de seus funcionários, pagar a exorbitante fatura de energia elétrica, conseguir quitar a fatura de água e ainda “se virar nos 30” com os empréstimos e financiamentos da empresa. É um círculo vicioso que, obviamente, não tem fim.

Por conta disso, já é de se esperar que o mercado de TI também viesse a sofrer com estes problemas, tardou, mas está aí para quem quiser ver. Devido a necessidade de corte de gastos o cancelamento de contrato de prestações de serviços de sistemas de informação começou a demonstrar forte tendência até o final de 2015. Os empresários estão buscando soluções mais baratas e simples de forma que assim conseguem segurar a crise em seu estabelecimento.

Mas como não poderia deixar de ser, precisamos tocar justamente no assunto “software”. Por que cancelamento de contratos de sistemas começaram a se tornar alternativa para contenção de despesas? Quer uma dica? Qualidade.

De acordo com uma rápida pesquisa, foi possível descobrir que mais de 50% do mercado de software brasileiro possui problemas com boas práticas de qualidade de software e não é difícil encontrar sistemas existentes onde o código fonte possui 10 anos ou mais. Não que a idade do software seja um problema, muito pelo contrário, se compararmos o software com o motor de um carro, por exemplo, teremos que quanto mais mexemos nele mais problemas aparecem, principalmente com o desgaste natural das peças, mas se a manutenção for feita corretamente atendendo aos padrões determinados pelo fabricante, podemos ter um motor completamente funcional por muito mais tempo. Tomando como base este raciocínio, temos então que quanto mais efetuarmos correções e evoluções em um software mais ele se deteriora com o tempo. E sem técnicas corretas de produção de aplicativos, testes e ferramentas automatizadas o seu sistema certamente estará fadado ao fim.

Ainda temos o despreparo técnico de alguns e a baixa produtividade de outros como fator predominante em demissões nas empresas de TI, pois conforme vimos, os altos custos em manter uma empresa também estão presentes neste setor, logo a coisa mais lógica a fazer é cortar os custos da produção de software. Existem algumas fábricas que optam por contratar aprendizes e treiná-los para que se formem experts nas regras de negócio e no padrão de desenvolvimento da empresa. É uma forma de conter o avanço da crise internamente a longo prazo, uma vez que o indivíduo levará um certo tempo até chegar a um nível Pleno ou Sênior.

Claro que esta é uma visão limitada de todos os problemas que o mercado de TI está passando nos últimos meses, mas não podemos ser pessimistas. Aplicando o uso consciente dos recursos disponíveis como mão de obra (Governança de TI), aplicando corretamente os padrões de desenvolvimento da linguagem adotada, utilizando padrões de projetos (Design Patterns), automatizando os testes unitários, interface, integração, regressão e utilizando ferramentas de construção contínua para garantir que no momento em que o programador enviar suas alterações imediatamente sejam rodadas as construções e testes da aplicação bem como a disponibilização para o cliente caso todos os procedimentos sejam aprovados e etc, será possível produzir softwares cada vez mais qualificados com o menor custo possível. Nunca é tarde para colocar ordem na casa, basta que se comece por qualquer um dos lados, mesmo por que o mercado de TI é muito forte e com certeza irá superar esta crise sem muitas avarias.

Confira este artigo no Linkedin.